TÊ AGÁ CÊ

Ando todo emotivo, não choro muito mais,
seguro, aperto, sufoco soluços e afogo lagrimas em
goles secos e acordo às 3 da madrugada, em ponto
Na hora da bruxa, hora dos demônios soltos livres do inferno
a hora que os pulmões se regeneram e respiram, eu não respiro,
me escondo e as sombras se mostram no escuro do quarto
Não estou deprimido, não é isso
Estar sozinho ainda é desconcertante
Minha companhia é preguiçosa e viciante
Vou me desfazendo em series jogos maconha e entretenimentos
Vou engavetando sonhos que sinto vergonha de ter
Não sei se estou molhado de tesão
ou por conta de algum sintoma hipocondríaco
que inventei para me matar mais um pouquinho
Travei.
Suavemente brisando numa onda de tê… agá… cê
E acendo mais um e acendo mais um e acendo mais uns…
estou acendendo um enquanto escrevo
ASCENDENDO
E não posso sentir vergonha do meu corpo
pois moro nele
Vivo aqui: nesses olhos, nessa boca, nos meus pés e barriga
Ainda que minha mente tenha dado um golpe de estado no meu coração
Eu estou aqui
E meu coração ainda está batendo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s